Primado Branco Encruzado, Primado Rosé – novas propostas de vinhos diferentes

O nosso projecto familiar tem na sua génese uma filosofia de criação de vinhos que se distingam no seu carácter e elegância em edições muito limitadas.

Assumindo um compromisso com a nossa origem, o Dão, os nossos vinhos recuperam o espírito da região.

Quando há uns anos se iniciou o projecto com o Primado Tinto, quisemos produzir um vinho distinto e muito diferente dos vinhos demasiado encorpados e retintos. O objectivo foi a produção de um vinho de grande complexidade e elegância e com grande capacidade de envelhecimento. Esta opção faz com que o Primado Tinto permaneça em estágios muito prolongados e apenas seja comercializado, no seu ponto ideal de consumo, muitos anos após a sua colheita.

2017 foi ano para evoluir para novas propostas reveladoras de vinhos diferenciadores.

Decidimos produzir o nosso primeiro Primado Branco Encruzado (edição limitada a 2666 garrafas) e uma reedição do Primado Rosé (edição limitada a 3267 garrafas). Os vinhos serão apresentados durante o mês de Maio, no dia 26, em Lisboa, na Garrafeira Nacional, no dia 28, em Coimbra, no Hotel da Quinta das Lágrimas, no Porto em data e local a indicar e em Santa Comba Dão, terra de origem do Primado, na Casa da Cultura em data a indicar.

Primado Branco Encruzado

O Primado Branco é produzido a partir da casta Encruzado, típica do Dão e considerada uma das raras castas brancas de qualidade irrepreensível.

O mosto manteve-se em maceração pré-fermentativa durante 12 horas, após o que foi prensado. A fermentação processou-se lentamente com um controlo rigoroso da temperatura entre os 14ªC e os 15ºC, permitindo uma harmonização dos complexos aromas da casta Encruzado.

Não tendo sido sujeito a contacto com a madeira não sofre a influência aromática das barricas, evidenciando assim um nariz mais varietal.

Apresentando-se o aroma inicialmente mais fechado, característica da casta, a exuberância da casta Encruzado vai -se revelando no copo. Mais floral no início vai, entretanto, revelando aromas cítricos com algumas notas tropicais.

Na boca, a sua exuberância é notável e progressiva. O excepcional equilíbrio entre a acidez e o álcool evidencia-lhe grande elegância. O contacto com a película conferiu-lhe estrutura, proporcionando um final de boca longo em que a complexidade aromática e a intensidade do gosto se revelam harmoniosamente.

Com uma forte vocação gastronómica é também um vinho sem época. Acompanha bem os alimentos frescos típicos das épocas mais quentes, mas está bem preparado para combinar com pratos fortes, nomeadamente de peixes de forno, bacalhau e algumas carnes.

Primado Rosé

O Primado Rosé provém das castas tintas mais notáveis da região do Dão, Touriga-Nacional, Tinta-Roriz, Alfrocheiro e Jaen.

Após a apanha manual, o mosto foi sujeito a um ligeiro contacto pelicular e posterior sangria. Seguiu-se a fermentação à temperatura de 14ºC, durante 18 dias, tendo o vinho permanecido em borra fina durante os meses de Inverno.

O vinho apresenta-se brilhante e límpido. A cor rosa intensa resulta da obtenção do mosto por sangria após contacto com as películas. Nos aromas de fruta de polpa intensa resultantes da lenta fermentação é possível identificar a uva e a pera, mas o pêssego sobressai por via retro nasal.

Na boca sente-se a estrutura e o corpo. Guloso e gordo, este vinho mantêm a sua elegância num longo final de boca proporcionado pela frescura e acidez.

As suas características tornam-no gastronomicamente muito versátil. Sendo um rosé acompanha bem os alimentos leves das épocas quentes, mas a sua estrutura permite-lhe a harmonização com pratos mais robustos.

 

A colecção Primado fica assim mais valiosa.

Apesar das limitadas quantidades disponíveis, esperamos que tenham oportunidade de comprovar o que aqui se descreveu sobre estes Primado.

Manuel Pereira de Melo

Leave a Reply