Os gestos podem constituir um eficaz meio de comunicar e transmitir emoções.

Já todos passamos pela tentação, ou concretização, de usar os gestos para mostrar a outrem o que nos vai na alma.

Os gestos são mais úteis quando por qualquer razão existe dificuldade de comunicação, nomeadamente quando a língua é diferente. Os vários gestos assumem diferentes significados perante a diversidade cultural e alguns aparentemente inofensivos podem arranjar sérios problemas aos mais desatentos.

O antigo presidente George Bush foi protagonista de uma dessas situações numa visita à Austrália cometendo uma gafe quando acenou a uma multidão fazendo o “V” com os dedos.

Normalmente este gesto é feito com a palma da mão voltada para fora representando a letra “V” ou o número “2”. A partir da II Guerra, onde foi muito usado, passou a ter o significado de “vitória”. Os movimentos pacifistas dos anos sessenta passaram a usá-lo também para simbolizar “paz e amor”.

Com Bush o problema foi o de ter feito o gesto com a palma voltada para si, o que no nos países sob influência cultural do Reino Unido, caso da Austrália, constitui um grave insulto equivalente ao “dedo do meio”.

As diferentes culturas do mundo possuem especificidades e pode ser muito vasta a lista de costumes estranhos para quem não as conhece. A diversidade cultural deve ser profundamente respeitada porque é o que torna este mundo mais interessante.

Ao preparar uma viagem não se esqueça de procurar informação sobre a cultura dos locais que vai visitar para não fazer figura de Bush.

Manuel Pereira de Melo